• Resiliência


    Manhã morna de um sábado qualquer,
    A beleza da vida cotidiana se coroava
    Pela faxina e a ideia de organizar
    Aquilo que era meu, no momento.

    A casa – minha pela lei do aluguel;
    A roupa – minha pela forma do corpo naquele dia;
    O pensamento – meu porque não era dia de trabalho externo.

    Investi com força contra a sujeira
    E contra tudo o que julgava ter que mudar de lugar
    Pelo meu critério.

    Esfregando a calçada,
    Reparei na plantinha que vazava uma rachadura.
    Apesar da agressão, seu corpo resistiu
    E pouco depois de vergada, novamente se erguia,
    Parei e pensei que seria mais fácil deixá-la do que arrancá-la dali.

    Refleti porque as plantas nas rachaduras de calçada
    Incomodam as faxinas;
    Faxinas que acontecem de quinze em quinze dias.


    Celina Gomes

  • 0 comentários:

    Postar um comentário

    Olá, muito obrigada por sua presença! Deixe seu comentário.
    Avise-nos se estiver seguindo o site, iremos retribuir!

    PUBLIQUE SEU TRABALHO!

    Faça parte da Morgenstern! Envie-nos o seu trabalho, é totalmente gratuito!

    ENDEREÇO

    Paraná, Brasil

    E-MAIL

    editoramorgenstern@gmail.com

    CELULAR

    +55 (44) 9 8438-8067
    +55 (44) 9 9887-8750