MORGENSTERN

Nós somos

image
Olá,

Bem-vindo ao futuro!

A Morgenstern é uma editora on-line que visa publicar e divulgar trabalhos de expressão artística. Pensou-se em criar um espaço que funcionasse como disseminador de textos e análises literárias, conhecidos ou não, com o intuito de fomentar a popularização da literatura e, sobretudo, da leitura. Isto porque acredita-se que a leitura colabora para o desenvolvimento da escrita, para a potencialização do vocabulário, para a facilitação da interpretação e compreensão dos mais variados tipos de textos, além da otimização do próprio raciocínio lógico.

O projeto foi idealizado por duas aulunas do Instituto Federal do Paraná (IFPR) — Campus Assis Chateaubriand, Ana Carla Quallio e Nathália jorge; tendo como coordenadora a professora mestre em Língua Portuguesa Celina Gomes e vice-coordenador o professor Olavo José Luiz Jr., formado em Tecnologia em Processamento de Dados e em Gestão Educacional.

Publique seu trabalho!

Objetivos

Autonomia

Suscitar a autonomia do aluno nos diferentes relacionamentos com a leitura, e, sobretudo, no processo de aprendizagem.

Leiura

Incentivar a leitura e a interpretação de diferentes gêneros textuais, levando o discente a interagir com textos plurais, literários ou não.

Design Moderno

Proporcionar um layout moderno e de fácil acesso às pessoas, garantindo uma plataforma segura para pesquisas e trabalhos.

Eventos

Divulgar notícias referentes a eventos culturais e científicos realizados no IFPR – Campus Assis Chateaubriand e outras instituições.

Estudo

Disponibilizar conteúdos apresentados por professores em sala de aula, inclusive, por meio de tutoriais em vídeos ou matérias em PDF.

Busca

Estimular o desenvolvimento da busca voluntária de saberes e o autodidatismo, oportunizando a consulta de materiais diversos.

20000

Visualizações

25

Seguidores

6

Parceiros

800

Likes
Portfólio

O projeto...

I look at you as the sunflower 🌻 looks at the sun ☀

        A Morgenstern é uma editora on-line que visa publicar e divulgar trabalhos de expressão artística e literária, bem como textos teóricos referentes às disciplinas ministradas nos cursos do IFPR – Campus Assis Chateaubriand.
       Surgiu do desejo de divulgar a literatura e apoiar a prática de leitura, ampliando-se depois para a iniciativa de tentar auxiliar estudantes e pessoas interessadas com materiais de variadas áreas do conhecimento.
       Com o advento da tecnologia, a divulgação de materiais literários – obras e análises sobre elas – se tornou bem mais difusa, sendo possível acessar textos antes restritos. Isto é relevante, pois concorre para a popularização de obras que colaboram sobremaneira com o desenvolvimento do indivíduo, possibilitando-o refletir sobre a sociedade em que está inserido, sua forma de estruturação e os diferentes níveis de relacionamento entre os sujeitos que a compõe; isto, oportunizado pela ficcionalização do real.
     Além da divulgação da literatura, a tecnologia proporciona também a propagação de materiais teóricos das diferentes áreas do saber, os quais podem auxiliar significativamente o aluno (e qualquer pessoa que se volte ao estudo de uma matéria ou tema específico) no processo de aprendizagem.
     Diante do exposto, pensou-se em criar um espaço, uma editora on-line, que funcionasse como disseminador de textos e análises literárias, conhecidos ou não, com o intuito de fomentar a popularização da literatura e, sobretudo, da leitura. Isto porque acredita-se que a leitura colabora para o desenvolvimento da escrita, para a potencialização do vocabulário, para a facilitação da interpretação e compreensão dos mais variados tipos de textos e para a otimização do próprio raciocínio lógico. Ainda, pensando na leitura literária, mostra-se salutar sua propagação haja vista sua capacidade de ficcionalizar o real de maneira a representá-lo, mas, ao mesmo tempo, de subvertê-lo, distanciá-lo, reconstruí-lo, enfim, concebê-lo sob outras perspectivas; isto, sendo capaz de analisar e compreender melhor o meio em que se está inserido e como se dá esta inserção nele. A propósito da relevância da literatura, Candido (1995) apresenta algumas de suas caracterizações, as quais ilustram e ajudam a apoiar a justificativa para sua popularização:

A literatura confirma e nega, propõe e denuncia, apoia e combate, fornecendo a possibilidade de vivermos dialeticamente os problemas. [...] Ela não corrompe nem edifica, portanto; mas, trazendo livremente em si o que chamamos o bem e o que chamamos o mal, humaniza em sentido profundo, porque faz viver. (CANDIDO, 1995, p.243, 244).
     O autor completa dizendo que a literatura é uma evidência da experiência humana e da própria sociedade; configura-se mesmo um direito da pessoa, haja vista os benefícios que pode lhe trazer, daí a importância do contato com ela. (CANDIDO, 2002).
     Os conteúdos já postados passaram por um crivo estabelecido por uma equipe de avaliadores, a saber, as duas alunas (Ana Carla Quallio e Nathália Jorge), que vão considerar em que medida as matérias são ou não pertinentes à proposta do espaço; e a docente Celina de Oliveira Barbosa Gomes, que procederá às correções sintático-semânticas. Isto, no que se refere especialmente aos tópicos apresentados nas diferentes disciplinas do IFPR – Campus Assis Chateaubriand. Portanto, pautar-se-á em uma visada qualitativa.
  Concomitantemente, materiais literários, obras e textos relacionados, serão selecionados e publicados na página, especialmente aquelas contempladas nas ementas e currículos de ensino da Educação Básica (destaca-se aqui a apresentação de textos de literatura africana e afro-brasileira).
   Posteriormente, serão realizadas pesquisas e seleção de eventos culturais científicos de diversas instituições de ensino, especialmente o Instituto Federal do Paraná (IFPR). Ainda, se dará o registro e divulgação - por fotos, vídeos e texto escrito - de eventos que acontecerem no campus ou, eventualmente, em outros lugares.

Objetivos a serem alcançados

Geral:
   Apoiar a prática da leitura, sobretudo literária, e a aprendizagem autônoma de conteúdos das diferentes disciplinas do IFPR – Campus Assis Chateaubriand.  

Específicos: 
Incentivar a leitura e a interpretação de diferentes tipos textuais;
Apresentar obras literárias de gêneros diversos, nacionais e estrangeiras;
Fomentar a leitura literária;
Disponibilizar conteúdos apresentados por professores em sala de aula, inclusive, por meio de tutoriais em vídeos;
Oportunizar a consulta de materiais das disciplinas em momentos diferentes da aula;
Estimular o desenvolvimento da busca voluntária de saberes e o autodidatismo;
Divulgar notícias referentes a eventos culturais e científicos realizados no IFPR – Campus Assis Chateaubriand ou não.

Resultados esperados

Geral:
   Suscitar a autonomia do aluno nos diferentes relacionamentos com a leitura, especialmente literária, e, sobretudo, no processo de aprendizagem.

Específicos:
Levar o aluno a ler e interagir com textos plurais, literários ou não;
Estimular o gosto pela leitura, especialmente literária;
Apoiar o desenvolvimento da escrita;
Auxiliar o aluno na busca e estabelecimento de estratégias de aprendizagem de determinados conteúdos, suscitando uma aprendizagem personalizada;
Possibilitar o resgate e, por conseguinte, a reflexão constante sobre determinados temas propostos em sala pelo professor;
Divulgar e estimular a participação em eventos culturais e científicos realizados no IFPR – Campus Assis Chateaubriand e outras instituições;


Quem somos

Three Sisters | ©inyoureyes69
Reblog only with caption and credits intact.


Criadoras do projeto

Ana Carla Quallio

       “Meu nome é Ana Carla Quallio Rosa, nasci no dia 28 de junho de 2002, na cidade de Assis Chateaubriand; sou canceriana. Estudo no Instituto Federal do Paraná (IFPR), no campus de Assis Chateaubriand (PR). Confesso que é meio complicado escrever um texto me descrevendo, talvez porque eu não conheça todos os meus lados, nem mesmo os mais obscuros. Quando eu era menor, eu realmente odiava a ler, a leitura não combinava comigo, eu só gostava mesmo de alguns mangás. Esse meu pensamento mudou completamente desde que eu conheci a saga “Os Instrumentos Mortais” de Cassandra Clare; alguns dizem que talvez não gostamos de ler porque não achamos o livro certo, isso aconteceu comigo.
       Conheci essa saga através do filme e achei muito interessante; eu sempre tive uma fascinação pelo sobrenatural, então pedi aos meus pais que comprassem os seis livros, comecei a ler e simplesmente adorei a sensação.
       Sempre tive os meus universos paralelos, onde sou uma pessoa completamente diferente, até mesmo mais forte emocionalmente; consigo viajar a Marte, Júpiter e Saturno em questão de segundos; com a leitura, consigo imaginar os personagens e até mesmo ser eles. Isso é uma característica minha.
       Eu conheço a Nathália faz muito tempo, somos amigas desde o segundo ano do Ensino Fundamental, ela se mudou para Cianorte (PR) e voltou para Assis em 2016, foi aí que nossa amizade se intensificou. Considero ela minha Parabatai, um laço mais forte do que tudo. Ela me ajudou no momento em que eu mais precisava, no momento em que ninguém percebia como eu realmente estava me sentindo; sou eternamente grata por isso.
       Depois de começar a ler, apresentei para ela a saga, então ela começou a ler também. Ler tornou-se a nossa paixão. A ideia de escrever um livro surgiu aleatoriamente em uma aula de português, depois veio a ideia da Editora. Nós queríamos ajudar os outros com seus trabalhos e também publicar os nossos próprios trabalhos.
       Começamos a discutir sobre o livro, muitas ideias vieram, misturamos a realidade com o sobrenatural, tudo isso envolvido ao passado. O passado explica o futuro, a nossa realidade.
       Tudo isso ainda é muito pouco para me descrever, sou muito profunda, tudo é muito intenso; mas isso é o suficiente para conhecerem uma pequena porcentagem minha.”

Basta ser sincero e desejar profundo, você será capaz de sacudir o mundo — Raul Seixas.

Nathália Jorge

       “Meu nome é Nathália dos Santos Jorge, nasci no dia 03 de junho de 2002, na cidade de Assis Chateaubriand (PR), sou geminiana. Estudo no Instituto Federal do Paraná (IFPR), no campus de Assis Chateaubriand (PR). Adoro escrever, mas confesso que escrever sobre mim mesma é um tanto…complicado; talvez porque não conheça todos os meus lados, talvez porque sou aquela garota que conhece todos, mas poucos me conhecem; enfim…vamos tentar. Sempre gostei de ler. Quando tinha quatro anos de idade, comecei a frequentar a escola e meus pais compravam vários livros para treinar a minha leitura. O sobrenatural sempre me fascinou, mas sempre soube que a vida não é como nos contos de fadas: “E viveram felizes para sempre”.
       Aos dez anos de idade, me mudei para Cianorte (PR), uma cidade bem longe de Assis. No começo foi difícil, eu era muito antissocial e não conseguia fazer amizades. Com o tempo fui mudando, sendo mais comunicativa e aceitando que nem todos eram como eu; sempre pensei demais e corri atrás do que queria, então esperava que os outros também fossem assim. Agora sei que cada um tem seu valor e seu papel na sociedade; no mundo em que vivemos, todos nós somos especiais do jeito que somos. Não podemos mudar por ninguém, apenas por nós mesmos.
      Em 2016, voltei para Assis Chateaubriand. Naquele momento, eu era uma pessoa completamente diferente da que saiu aos dez anos de idade, uma pessoa comunicativa, curiosa, compreensiva e sonhadora; bem…esses são os pontos bons. No colégio onde fui estudar, reencontrei minha melhor amiga, Ana Carla; desde então nossa amizade só se fortaleceu e virou algo muito mais forte, agora somos Parabatai.
       Nos apaixonamos por uma série de livros chamada “Os Instrumentos Mortais” de Cassandra Clare. A ideia de escrever um livro surgiu de repente em uma aula de português. Depois disso, veio a ideia da Editora, o nosso objetivo sempre foi e sempre será ajudar a nossa futura geração a divulgar seus trabalhos, como livros, textos, desenhos, músicas, etc.
       Isso ainda é muito pouco para me descrever. Sou uma mistura boa do bem e do mal atuando juntos; não piso em ninguém, mas não tente me fazer de boba. Sou a mocinha, mas também sei ser a vilã. Posso dizer que tenho a inteligência de um vilão, mas a alma de um herói.
       Para alguns somos a sombra, para outros a luz. Às vezes como um vilão, outras como um herói.”

Durante um tempo somos um anjo, depois um demônio — Marlon Vieira.

Mas no fundo, o vilão só queria ser um herói e ficar com a mocinha, ele só queria ser lembrado; e acima de tudo, encontrar a felicidade — Nathália Jorge. 
Coordenadora

Celina Gomes


         Professora mestre em Língua Portuguesa do Instituto Federal do Paraná — Campus Assis Chateaubriand.



Vice-coordenador

Olavo José Luiz Jr.


         Professor formado em Gestão Educacional e Tecnologia em processamento de dados do Instituto Federal do Paraná — Campus Assis Chateaubriand.





    O começo de tudo

       A ideia de montar um site é recente, mas a de abrir uma editora e ajudar as pessoas a publicarem seus trabalhos surgiu faz um certo tempo.
Por mais inusitado que pareça, tudo começou em uma aula de português. Estávamos eu e minha Parabatai, Ana Carla, discutindo sobre o tema escrever, tínhamos que fazer uma crônica de um tema livre. Decidimos então escrever sobre o preconceito — um tema que merece muita atenção de todos.
       A ideia até fluiu, mas faltava um pouco mais de…drama. Ficamos uns cinco minutos olhando para o papel, e então começamos conversar sobre algo que tinha acontecido conosco e com alguns garotos a aproximadamente um mês; esse fato, com certeza, marcou nossas vidas, principalmente a vida de Ana.
       Conversando e rindo de algumas partes da história (algumas partes eram realmente engraçadas), decidimos cancelar o texto “preconceito” e fazer outro falando o que aconteceu conosco (seria um texto longo e épico).
       Mas espera…por que não fazer um livro? Esse texto poderia ter dois destinos: ficaria cortado, sem os acontecimentos bem relatados; ou ficaria muito longo, com a história totalmente detalhada, e viraria sim, um livro.
       Ficamos com a segunda opção. Decidimos, primeiramente, fazer um livro dramático e triste. Mas e as partes legais? E as partes onde sonhamos com um mundo perfeito? Nós não poderíamos deixar isso para atrás!
       Por fim, veio a ideia definitiva. Fizemos então um livro de ficção, com vampiros, fadas, caçadores de bruxas e muito mais. Vocês podem se perguntar: “Mas e o que aconteceu? Os garotos, vocês…tudo”; nós colocamos eles na história e nós duas também! Porém, mudamos os fatos radicalmente, mudamos praticamente tudo.
       Logo depois surgiu a ideia da nossa editora. Queríamos um lugar para publicar o nosso livro, os nossos textos, um lugar para outras pessoas publicarem seus trabalhos. Foi assim que a Editora surgiu.
       Repare o quanto o mundo é cruel, como nós seres humanos somos egoístas e só pensamos em nós mesmos, e se pudéssemos dar oportunidades a outras pessoas? E se pudéssemos contribuir para a mudança da nossa realidade tornando o mundo um pouco mais humilde? Essa é Editora Morgenstern. É isso que nós queremos.
       Se um professor publicar aqui alguma explicação de sua matéria, imagine a quantidade de pessoas que irão ter acesso a este conteúdo, a quantidade de conhecimento trocado por causa de uma explicação. Nós estamos na era da tecnologia, olhe em volta, a maioria da população possui no mínimo uma rede social. Há pessoas que não tem condições para ir à escola, mas tem acesso à internet.
       Foi pensando nisso que a editora deixou de ser apenas uma ideia, ela passou a ser um objetivo. Para nós, ajudar as pessoas é o objetivo.

Publique na Editora!



Método de Avaliação

     Caso você queira publicar algum trabalho na Editora, primeiramente deverá entrar em contato conosco pelo endereço eletrônico editoramorgenstern@gmail.com e ler as seguintes instruções:
      Concomitantemente, materiais literários, obras e textos serão selecionados e publicados na página, especialmente aqueles contemplados nas ementas e currículos de ensino da Educação básica.

Precisamente, serão publicados:

   • Textos literários e não literários;
   • Livros;
   • Conteúdos escolares voltados ao ensino técnico, tecnológico e profissionalizante;
   • Áudios;
   • Vídeos (tutoriais e outros);
   • Desenhos;
   • Trabalhos teóricos gerais (especialmente de finalização de curso);
   • Artigos e outros textos de docentes;
   • Notícias de eventos culturais e científicos do IFPR — Assis Chateaubriand.

Nosso método de avaliação funciona da seguinte forma:

   1. Primeiramente, deverá ser assinada a Declaração de Direitos Autorais citada abaixo;
   2. Os conteúdos deverão ser enviados para o endereço eletrônico editoramorgenstern@gmail.com;
  3. Todos os conteúdos passarão por um crivo estabelecido por uma equipe de avaliadores, que vão considerar em que medida as matérias são ou não pertinentes à Editora;
 4. Em casos de textos, vale salientar que havendo a pertinência do conteúdo à página, mas necessitando de correções, a equipe de avaliadores procederá as correções sintático semânticas, realizando alterações nos mesmos;
  5. Os trabalhos serão formatados em conformidade com as normas da ABNT;
  6. Após tais modificações e uma nova revisão, os conteúdos serão publicados.

Os trabalhos deverão ser enviados por e-mail da seguinte maneira:

     1. Trabalhos escritos:
     • Em PDF ou Documento do Word;
     • De preferência nas fontes Arial ou Times New Roman, no tamanho 12, na cor preta (assim como nas normas da ABNT);
     • No formato justificado. 
    2. Desenhos:
    • Digitalizado;
    • Com uma descrição falando sobre o que se trata (tamanho 12, fontes Arial ou Times New Roman, em formato justificado).
    3. Outro tipo de trabalho:
    • Entrar em contato conosco encontrarmos a melhor forma de envio.

Declaração de Originalidade e Cessão de Direitos Autorais

       A Declaração abaixo deverá ser impressa, assinada, digitalizada e enviada para o nosso e-mail.


#PalavrasConfortam



O Nome da Placa

Querida, por que o choro?
Por que o desgosto?
Por que essa tristeza toda?
Por que a falta de esperança?
Por quê?
Eu estava a observar,
E vi os que passaram por cima de você,
E anotei a placa,
Nela estava gravado "Ignorância do Mundo"
Pois é, anotei só mesmo pra você ver quem foi,
Por isso as lagrimas devem ser enxugadas,
Eles vão voltar daqui algum tempo,
E é melhor você estar em pé,
Pois dói bem mais quando já se está no chão,
Não em dores física,
E sim dores de fracasso pessoal por não tê-los enfrentado.
Querida, por que ainda no chão se encontra?
Vamos, resista o máximo,
Vamos, o máximo, resista!
Eles a atropelaram por serem maioria,
Atropele-os por você ser a diferença!
Atropele-os por sua liberdade.
Querida, sem mais choro,
Sem mais desgosto,
Sem mais tristeza,
Sem mais falta de esperança,
Eles estão voltando...

Autora: Ana Borian

     Sente-se mal por algum motivo? Já pensou em suicídio? Não desanime, saiba que é muito importante para muitas pessoas, e, por mais que você não ache, vai fazer muita falta quando se for. Precisa de ajuda ou quer desabafar com alguém? Entre no site www e diga tudo o que está sentindo, tire esse peso de dentro de você e zele por sua vida. — Editora Morgenstern. 


#PalavrasConfortam

Resultado de imagem para eu vou te amar ao infinito e além

          Amar alguém não é fácil... agora, amar alguém que te odeia se torna uma guerra impossível de se vencer a cada dia que passa.
        Tudo, todas as lembranças felizes que vêm em minha mente são com você.
        Eu queria ter lhe dado mais valor, mesmo sabendo que seria impossível, já que, se existisse uma máquina do tempo, não adiantaria; pois todas as vezes que estive com você, entreguei-me de corpo e alma.
        Porém, o que eu posso fazer se sou tão desprezível para você e para esse mundo?
        Você é a razão do meu de viver. Nesse jogo, eu sou como um personagem secundário e você é o principal. Talvez eu não mereça ser feliz ou até mesmo está vida. 
        Todos me dizem para segurar a barra, que eu consigo; mal sabem eles a dor que passo diariamente.
        — Ele não te merece! — dizem todos.
        — Por quê? — eu pergunto.
        Então, todos se calam, ninguém tem a resposta. Eles não conseguem dizer mais nada a não ser essa maldita frase!
        Agora estou escrevendo esse texto, com esse sentimento, com amor. Sabe o que vou sentir se lê-lo daqui três anos? A mesma coisa. Porque amor é para sempre!

Autora: Bianca Araújo


     Sente-se mal por algum motivo? Já pensou em suicídio? Não desanime, saiba que é muito importante para muitas pessoas, e, por mais que você não ache, vai fazer muita falta quando se for. Precisa de ajuda ou quer desabafar com alguém? Entre no site www e diga tudo o que está sentindo, tire esse peso de dentro de você e zele por sua vida. — Editora Morgenstern. 


#PalavrasConfortam

     Resultado de imagem para pessoa enforcada tumblr

Eu ganhei esse título

        Não considero o que passei um erro de minha parte, como julgam as pessoas. Fui simplesmente uma vítima. Talvez eu mereça andar de cabeça baixa, vendo as pessoas cochicharem por todos os lugares sobre mim. Recebi vários títulos diferente por todas as ruas da cidade, títulos como o de "puta", "rodada", "vagabunda" e muitos outros que ganhei por aí. 
Será que a culpa foi minha? Naquela festa bebi um pouco. Me distrai por alguns minutos, só queria me divertir e aproveitar a noite junto com minhas amigas, eu tinha motivos para comemorar, estava feliz. 
        Era minha formatura da faculdade, o maior passo que eu poderia dar para meu futuro, mas, como dizem, toda felicidade dura pouco, e a minha terminou logo depois que peguei minha bebida que estava ali, abandonada sobe a mesa. Poucos minutos depois já não sabia onde estava e minha última lembrança, depois daquele momento, foi de ser puxada pelo braço. 
        Aconteceu entre o tempo de acordar amarrada em uma cama, em algum lugar que eu nunca havia visto. E eu gostaria de não saber, mas fui molestada por um homem — se assim pode ser chamado. Tentei escapar, mas ele tinha umas dez vezes a minha força e apontava uma arma para a minha cabeça. Tive que escolher entre ficar ali sendo abusada ou morrer, com uma bala em meu crânio. 
        Talvez eu tenha me arrependido da escolha, pois a partir daquela noite só ouço hipocrisia por todos os lugares, hipocrisia que vem de pessoas que desconhecem minha história. "Puta", "vadia", "suja ", "anda pelada e ainda diz que foi estupro"; são só alguns exemplos do que tenho que suportar.
        Cansei de ser julgada e apontada por pessoas que não sabem ao menos meu nome. Hoje decidi esquecer tudo isso. A solução está logo abaixo dos meus pés e desabafar comigo mesma antes de me despedir deste mundo foi bom. A corda em meu pescoço está pinicando, e os pés que me sustentam sobre meu balanço de infância já estão cansados de se equilibrar. O deslize dos meus dedos, até o fim do assento do balanço, me causam arrepios. A falta de ar surge. Logo em seguida, me pondo em desespero, um desespero que dura poucos segundos, enquanto flutuo no ar, dando meu último suspiro.

Autora: Gabrielly Silva

     Sente-se mal por algum motivo? Já pensou em suicídio? Não desanime, saiba que é muito importante para muitas pessoas, e, por mais que você não ache, vai fazer muita falta quando se for. Precisa de ajuda ou quer desabafar com alguém? Entre no site www e diga tudo o que está sentindo, tire esse peso de dentro de você e zele por sua vida. — Editora Morgenstern. 

Contato
MORGENSTERN
+55 (44) 9 8438-8067
+55 (44) 9 9887-8750
Paraná, Brasil